A metodologia básica para um projeto de iluminação pública aplicada em vias baseia-se nos critérios estabelecidos na NBR 5101/2018 (Iluminação Pública), levando em consideração critérios mínimos para funcionalidade do sistema, assim como requisitos para propiciar segurança ao tráfego de pedestres e veículos. O ponto de partida do projeto de um sistema de iluminação pública é a classificação da via que se pretende iluminar. Conforme o Código de Trânsito Brasileiro, as vias podem ser classificadas da seguinte forma:

Tabela 1 – Classe de Iluminação para cada tipo  de via para tráfego de veículos
Descrição da via Volume de tráfego Classe de Iluminação
Vias de trânsito rápido; vias de alta velocidade de tráfego, com separação de pistas, sem cruzamento em nível e com controle de acesso; vias de trânsito rápido em geral; autoestradas Intenso V1
Médio V2
Vias arteriais; vias de alta velocidade de tráfego, com separação de pistas; vias de mão dupla, com cruzamento e travessias de pedestres eventuais em pontos bem estabelecidos; vias rurais de mão dupla com separação por canteiro ou obstáculos Intenso V1
Médio V2
Vias coletoras; vias de tráfego importante; vias radiais e urbanas de interligação entre Bairros, com tráfego de pedestres elevado Intenso V2
Médio V3
Vias coletoras; vias de tráfego importante; vias radiais e urbanas de interligação entre Bairros, com tráfego de pedestres elevado Intenso V2
Médio V3
Leve V4
Vias locais; vias de conexões menos importantes; vias de acesso residencial Médio V4
Leve V5

Fonte: ABNT NBR 5101/2018

Feita a classificação da via e determinado o tipo de tráfego, faz-se necessário definir os parâmetros fotométricos adequados para atender a necessidade do local.

Tabela 2 – Iluminância média mínima e fator de uniformidade mínimo para cada classe de
iluminação
Classe de iluminação Iluminância média mínima Fator de uniformidade
mínimo
E med,min – lux U= E med / E min
V1 30 0,4
V2 20 0,3
V3 15 0,2
V4 10 0,2
V5 5 0,2

Fonte: ABNT NBR 5101/2018

A correta classificação do tipo de via é o primeiro passo para um projeto eficiente e efetivo. De acordo com o tipo de via adotou-se a configuração mais adequada tomando-se em conta a disposição dos postes e demais critérios de projeto. As particularidades de Guarapuava foram consideradas em relação ao tipo de via, à sua distribuição no espaço e à configuração da malha viária. Além disso, o projeto considerou aspectos históricos, zoneamento, ocupação, utilização e culturais do local. Além disso pensando em melhorar os níveis de iluminamento da cidade como um todo, mesmo nas vias locais de tráfego leve a iluminância mínima será de 10 Lux.

MAPA SÍNTESE DE ILUMINÂNCIA